Informação básica para o investidor.

Riscos e advertências

  • A Housers não é uma entidade de crédito nem uma empresa de serviços de investimento, não faz parte de nenhum fundo de garantia de investimentos nem de nenhum fundo de garantia de depósitos. Como tal, o capital investido não está garantido pelos mesmos.
  • Os projetos de financiamento colaborativo publicados na plataforma não são objeto de autorização nem de supervisão pela Comissão Nacional de Mercado de Valores (Espanha), pelo Banco de Espanha ou qualquer outra entidade reguladora, nacional ou internacional. Informa-se que a informação facilitada pelos promotores não foi revista pela Comissão Nacional de Mercado de Valores e não constitui um folheto informativo aprovado pela Comissão.
  • Housers não oferece aconselhamento financeiro e nenhuma informação apresentada na plataforma deve ser interpretada como tal.
  • A informação que aparece nesta página destina-se a fins informativos e não constitui um aconselhamento especifico.
  • O investimento nos projetos publicados por Housers implica os seguintes riscos:
    • Risco de perda total ou parcial do capital investido e risco de não obter o rendimento esperado. A rentabilidade do investimento dependerá do desenvolvimento positivo da empresa, pelo que existe o risco de não obter a rentabilidade esperada, e inclusive, de não obter qualquer rentabilidade e perder o investimento efetuado.
      Como mencionamos anteriormente, o investimento não está garantido. Se a empresa sofrer perdas, nem Housers, o promotor ou um fundo poderão garantir a recuperação do investimento.
    • Risco de falta de líquidez para recuperar o investimento, isto é, a venda da participação na sociedade/empréstimos pode não ser rápida. Geralmente, os investimentos nas oportunidades são a médio/longo prazo, portanto não se podem considerar líquidos.

Funcionamento básico de Housers

A Housers é uma plataforma de financiamento colaborativo. A sua atividade consiste em colocar em contato, de forma profissional e através da página web www.housers.com, a um conjunto de pessoas físicas ou jurídicas que oferecem financiamento em troca de um rendimento monetário (investidores) e pessoas físicas ou jurídicas que solicitam financiamento em nome próprio para destiná-lo a um projeto de financiamento colaborativo (promotores).

O investimento nos projetos publicados na Housers consiste na cedência de empréstimos participativos a promotores.

As oportunidades de investimento publicadas na Housers consistem na aquisição de ativos. Em determinadas situações, também se realizará a reforma integral dos ativos imobiliários adquiridos para aumentar o seu valor e rentabilidade. Os ativos selecionados pela Housers são inicialmente submetidos a uma seleção através de ferramentas de “Big Data” e, posteriormente, analisados detalhadamente para verificar a sua situação desde o ponto de vista legal e técnico.

A Housers analisa rigorosamente os projetos de investimento que recebe dos promotores com o objetivo de verificar a viabilidade dos mesmos e de proteger os interesses dos investidores. Antes da publicação dos projetos na plataforma, realiza-se o seguinte procedimento:

  • Análise da documentação legal: avaliação de documentos como certificados cadastrais, registos de propriedade, certificados de aprovação da Inspeção Técnica do edifício, certificados energéticos, comprovativos de pagamento dos últimos quatro anos do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), certificado emitido pelos administradores do edifício para verificar a situação económica do imóvel em relação à Comunidade de Condomínios da qual faz parte, bem como contratos de seguro, faturas de fornecimento e relatórios elétricos. Quando se trata de espaços comerciais, analisa-se também a informação correspondente à viabilidade do negócio (licenças de abertura ou funcionamento e licenças de atividade). Se os ativos são explorados através de arrendamento, verifica-se a documentação associada ao contrato de arrendamento (contrato, comprovativos de pagamento de rendas, identificação do arrendatário e do fiador (tanto pessoal como bancário, no caso de existir).
  • Análise técnico-financeira:
    • Realiza-se uma visita com um técnico especializado para acreditar o estado do ativo com o fim de recolher toda a informação possível e confirmar a veracidade de toda a informação legal obtida.
    • Efetua-se um estudo de mercado da zona onde está localizado o ativo.
    • Elabora-se um plano de desenvolvimento económico-financeiro do projeto em termos objetivos e com base em posições conservadoras.
    • Utilizam-se ferramentas de análise tecnológica da informação, que analisa dados de forma segmentada e geográfica, com base em fontes de informação de instituições públicas e entidades privadas. Este serviço é prestado por uma entidade externa que serve de aconselhamento para entender a dinâmica do mercado.

Tipos de oportunidades e cálculo de rentabilidade

A Housers publica na plataforma as seguintes modalidades de Empréstimo:

  1. OPORTUNIDADES DE EMPRÉSTIMO PARTICIPATIVO 
    Estas oportunidades classificam-se em duas modalidades:

    • MODALIDADE DE INVESTIMENTO
      Nesta modalidade, os investidores financiam através de empréstimos colaborativos o desenvolvimento e execução por parte de um promotor de uma oportunidade. São oportunidades com um prazo de duração estimado que oscila entre os 12 e 36 meses. Neste tipo de empréstimos a rentabilidade está vinculada ao rendimento obtido através da venda do imóvel da oportunidade e, se for o caso, da exploração do mesmo. No momento de publicação da oportunidade, o promotor fixa um preço objetivo de venda. Quando se atinge este valor, o imóvel é vendido. 
      Através da seguinte fórmula, estimamos a rentabilidade total publicada na oportunidade:

      Rendimentos de exploração líquidos acumulados durante o período de juros x 100
      Montante total dos Empréstimos

      Sendo:
      • os "Rendimentos de Exploração Líquidos", a diferença entre os rendimentos de Exploração efetivamente produzidos durante o Período de Juros correspondente, menos a percentagem % que o promotor retém para seu próprio benefício e que constará na documentação que se publique sobre a Oportunidade e os gastos de exploração satisfeitos ou imputados (incluídos os gastos de exploração) durante o período de juros que lhe corresponde.
      • E o "Montante Associado dos Empréstimos", o resultado de associar o capital pendente de amortização de todos os Empréstimos obtidos pela Sociedade Promotora em relação com a Oportunidade.

    • MODALIDADE DE ARRENDAMENTO
      Nestas oportunidades, os investidores financiam através de empréstimos colaborativos o desenvolvimento e execução de uma oportunidade por parte de um promotor. São oportunidades com um prazo de duração que oscila entre 36 e 60 meses. Neste tipo de empréstimos, a rentabilidade está vinculada à exploração do imóvel, ou seja, aos rendimentos obtidos através do arrendamento. Através da seguinte fórmula, estimamos a rentabilidade anual publicada na oportunidade: 

      Rendimentos de exploração líquidos acumulados durante o período de juros x 100
      Montante total dos Empréstimos

      Sendo:
      • os "Rendimentos de Exploração Líquidos", a diferença entre os rendimentos de Exploração efetivamente produzidos durante o Período de Juros correspondente, menos a percentagem % que o promotor retém para seu próprio benefício e que constará na documentação que se publique sobre a Oportunidade e os gastos de exploração satisfeitos ou imputados (incluídos os gastos de exploração) durante o período de juros que lhe corresponde.
      • E o “Montante Associado dos Empréstimos”, o resultado de associar o capital pendente de amortização de todos os Empréstimos obtidos pela Sociedade Promotora em relação com a Oportunidade.

  2. OPORTUNIDADES DE EMPRÉSTIMO DE TAXA FIXA
    Estas oportunidades dividem-se em três modalidades:

    • MODALIDADE DE INVESTIMENTO
      São empréstimos com um prazo previamente definido que oscila entre os 6 e os 24 meses. Os investidores concedem um empréstimo de taxa fixa a um promotor imobiliário para o desenvolvimento de um projeto de compra, reforma e venda do imóvel.

      Neste caso, o promotor amortiza e realiza o pagamento dos juros correspondentes no momento de vencimento do empréstimo. Nesta modalidade de projetos não se produzem pagamentos mensais de juros.

      Nos empréstimos de Taxa Fixa – Investimento, embora a operação tenha como finalidade a venda, a rentabilidade não depende da venda do imóvel e os investidores recebem os juros correspondentes ao seu investimento no momento de vencimento do empréstimo.

      Através da seguinte fórmula, estimamos a rentabilidade anual publicada na oportunidade:

      (C x R/100 x T) / 360

      sendo:
      "C" o montante dos Empréstimos pendente de reembolso;
      "R" O tipo de Juro (em percentagem); e
      "T" Duração do Período de Juros em dias.

    • MODALIDADE DE ARRENDAMENTO
      São empréstimos com um prazo previamente definido que oscila entre os 36 e os 60 meses. Os investidores concedem um empréstimo de taxa fixa a um promotor para desenvolver um projeto de tipologia compra e/ou reforma, bem como arrendamento do imóvel ou imóveis.

      Nos empréstimos de Taxa Fixa – Arrendamento, embora a operação tenha como finalidade o arrendamento, a rentabilidade dos investidores não depende da exploração ou venda do imóvel, uma vez que os investidores recebem os juros mensais previamente acordados com o promotor até que este amortize todo o empréstimo.

      Através da seguinte fórmula estimamos a rentabilidade anual publicada na oportunidade:

      (C x R/100 x T) / 360

      sendo:
      "C" O montante dos Empréstimos pendente de reembolso;
      "R" O tipo de Juro (em percentagem); e
      "T" Duração do Período de Juros em dias.

    • MODALIDADE DE CONSTRUÇÃO
      São oportunidades com um prazo estimado que oscila entre os 12 e 60 meses. Os investidores concedem um empréstimo de taxa fixa a um promotor imobiliário para o desenvolvimento de um projeto de grande dimensão, como por exemplo, projetos de nova construção ou reabilitação de várias unidades.

      Neste caso, os rendimentos começam a produzir-se desde o primeiro mês em função da taxa de juro previamente acordada com o promotor. Nos empréstimos de taxa fixa, a rentabilidade não depende da exploração ou venda do imóvel, uma vez que o investidor recebe mensalmente os juros acordados com o promotor e até à amortização do empréstimo.

      Através da seguinte fórmula estimamos a rentabilidade anual publicada na oportunidade:

      (C x R/100 x T) / 360

      sendo:
      "C" O montante dos Empréstimos pendente de reembolso;
      "R" O tipo de Juro (em percentagem); e
      "T" Duração do Período de Juros em dias.

Sistema de Scoring

O departamento financeiro realiza uma análise exaustiva de todos os riscos associados às oportunidades publicadas na Housers. Depois desta análise, aqueles projetos que verdadeiramente constituem uma oportunidade de investimento são publicados com uma pontuação concreta. 

Níveis de pontuação do risco: A, B, C, D, E, F, G.

Os diferentes níveis estão representados por letras, desde a letra A (menor risco) até à letra G (maior risco).

Uma oportunidade com pontuação A ou B representa menor risco e a mesmo tempo menor rentabilidade.

A Housers mede as seguintes variáveis para pontuar uma oportunidade:

  • 50% da pontuação de risco deriva de uma análise imobiliária da oportunidade: localização, preço de venda, avaliação, construção, experiência do promotor, etc.
  • Os restantes 50% derivam da análise financeira: rácios financeiros, fundo de maneio, modelos de capacidade financeira, garantias, etc.

Tarifas aplicáveis

A continuação poderá encontrar as tarifas aplicadas pela Housers aos investidores e promotores: Folheto de Tarifas Máximas e Gastos imputáveis.

Conflito de interesses

Para evitar conflitos de interesses, a Housers aprovou um Regulamento Interno de Conduta que pode ser consultado aqui: Regulamento Interno de Conduta.

Queixas e reclamações

Os investidores que desejem enviar queixas e reclamações a Housers poderão fazê-lo através dos seguintes meios: Regulamento de Defesa do Cliente.

Suspensão de serviços

Mecanismos em caso de suspensão da atividade

No caso de que a Housers decida, por qualquer causa, suspender a sua atividade, notificará por escrito os investidores e promotores com três (3) meses de antecedência, propondo-lhes uma plataforma de financiamento colaborativo alternativa nos direitos e obrigações assumidos perante eles, indicando-lhes o procedimento para proceder a uma transição ordenada de uma a outra plataforma. Se a Housers não ativar o mecanismo mencionado, os investidores e promotores terão que relacionar-se diretamente, isto é, sem a intermediação de uma plataforma, e sem que o seu direito de reclamar os danos e prejuízos inerentes à suspensão sejam afetados. 

Medidas adoptadas pela Housers para minimizar o risco de fraude e risco operacional

A Housers ativará em todo o momento os procedimentos e políticas necessárias para minimizar o risco de fraude nas suas operações através dos seguintes meios:

a) Medidas para minimizar o risco de fraude:
Considerando o tipo de negócio realizado e o tipo de investidores, a possibilidade de produzir-se uma fraude pode resultar tanto da esfera interna como externa da Housers, como tal, Housers implementou os seguintes procedimentos e medidas:

  • Antes de aceitar a publicação de uma Oportunidade na plataforma, a Housers realiza uma identificação tanto do ativo objeto da Oportunidade como do promotor. Verificam-se os dados públicos disponíveis nos registos oficiais e solicitam-se dados a terceiros que servirão de documentação suporte da oportunidade necessária para determinar: (1) a realidade da mesma e (2) que dispõe do título e capacidade legal para intermediar. Esta identificação e análise da realidade da Oportunidade inclui:
    • Uma análise do mercado onde está inserida a Oportunidade realizada pelas equipas internas da Housers.
    • Housers realiza comparações de preços e rentabilidades na zona da Oportunidade através de profissionais especializados que permitem comprovar as hipóteses indicadas pelo promotor.
    • Housers revê com os profissionais necessários os contratos que deverão dar forma à Oportunidade para assegurar-se da exigibilidade das obrigações objeto dos mesmos.
    • A análise dos registos públicos permite identificar o titular dos ativos subjacentes à Oportunidade e permite determinar as responsabilidades do mesmo.
    • A Housers revê de forma periódica os seus sistemas para detectar as operações que se realizam ao utilizar a plataforma, relacionando-as com a informação que recebe do Promotor e os pedidos de desembolso e pagamentos que se realizaram com cada Oportunidade com o objetivo de evitar usos errôneos ou inadequados das aplicações da Plataforma por parte dos seus empregados, investidores ou Promotor.
  • b) Medidas para minimizar o risco operacional:
    • O órgão de administração da Housers conhece os principais aspectos dos riscos operacionais e as categorias de risco diferenciadas, e são actualizadas e aprovadas periodicamente as directrizes para a gestão do risco operacional. As directrizes oferecem uma definição do risco operacional válido para toda a empresa, e estabelecem os princípios para definir, avaliar, seguir, controlar ou minimizar este tipo de risco.
    O órgão de administração da Housers proporciona periodicamente à direção, directrizes inequívocas sobre os princípios em que se baseia a gestão do risco operacional, e aprova as políticas correspondentes desenvolvidas pela direção. Estas directrizes englobam o risco operacional, bem como a sua tolerância ao mesmo, em virtude das suas políticas para administrar estes riscos e dos seus critérios para estabelecer prioridades entre as atividades desenvolvidas para tal efeito. As directrizes bem definidas especificam até que ponto e de que forma se transfere o risco operacional fora de Housers.
Com frequência, a Housers realiza uma auditoria interna aos seus processos para comprovar que os mesmos são eficientes e que permitem o desenvolvimento regular das suas atividades, de acordo com as políticas, pautas e orientações aprovadas pelo seu órgão de administração. A administração de Housers definiu as directrizes para a gestão do risco operacional estabelecido pelo conselho de administração em relação às políticas, processos e procedimentos concretos que se possam aplicar e comprovar dentro das distintas áreas de negócio, ao mesmo tempo que se responsabiliza pelo cumprimento das mesmas por parte dos trabalhadores da Housers. Como parte dos processos essenciais que Housers implemetou na sua atividade, encontra-se a realização das seguintes tarefas:

  • Estudos aprofundados sobre o progresso realizado por Housers para alcançar os objetivos de controlo do risco operacional.
  • Comprovação da realização dos controles de gestão/da administração
  • Aplicação das suas políticas, processos e procedimentos para a análise, tratamento e resolução de casos de incumprimento.
  • Sistema de aprovações e autorizações documentadas que asseguram a aceitação de responsabilidades perante a categoria diretiva mais adequada.
  • Comprovação do respeito pelos limites ou máximos atribuídos para o risco.
  • Estabelecimento de salvaguardas para aceder aos ativos e arquivos, e a sua utilização.
  • Contratação de pessoal com a experiência e formação adequadas.
  • Identificação das linhas de negócio ou produtos, nos quais o rendimento se afaste muito do esperado.
  • Comprovação e conciliação periódicas das operações e das contas da Housers.

Procedimento de recuperação

Reclamação extrajudicial:

Reclamação extrajudicial dos juros ordinários.

Se a Sociedade Promotora prestatária não fizer um pagamento ou pagar apenas parcialmente a quantidade em dívida do Empréstimo, a Housers entrará em contacto com a Sociedade Promotora para esclarecer os motivos do atraso e para solicitar o pagamento em dívida, de forma a que possa informar os investidores sobre os motivos do incumprimento e dos prazos estimados de pagamento, procedendo a enviar, para o efeito, uma notificação por burofax, eGarante ou qualquer meio que deixe constância.

Se após 60 dias naturais não tiver sido recebido o pagamento pendente pelo Investidor, a Housers enviará um comunicado por carta registada, eGarante ou qualquer meio que deixe constância, notificando a Sociedade Promotora da situação de incumprimento.

Cenários contemplados

  1. O promotor regulariza a situação imediatamente.  Não procede ação posterior.
  2. O promotor não pode pagar imediatamente, ou poucos dias depois da data de pagamento mensal, aos Investidores. Neste caso, a Housers entra em contacto com o mesmo para entender a sua situação e encontrar uma solução. Na medida do possível, a cobrança será gerida de forma amistosa. Se o promotor tiver uma dificuldade temporária tentarão encontrar soluções.
  3. Não é possível pôr-se em contacto com o promotor ou contar com a sua cooperação. Neste caso, depois de vencido o empréstimo, será iniciado o processo descrito nos seguintes parágrafos.


Reclamação extrajudicial no vencimento do empréstimo.

Se a Sociedade Promotora prestatária, depois de se cumprir a data de vencimento final do empréstimo, não fizer frente ao pagamento de uma ou várias quotas dos juros ocorridos, e/ou da devolução do principal, a Housers entrará em contacto com a Sociedade Promotora para solicitar o pagamento em dívida, enviando notificação por eGarante, carta registada ou meio que deixe constâncias para solicitação de calendário de pagamentos.  Paralelamente, em caso de existência de garantias pessoais (fiador ou avalista terceiro), será emitida, pelo mesmo meio, uma comunicação ao mesmo, de forma que seja conhecedor da falta de pagamento e da sua posição como obrigado ao pagamento.

Os pagamentos que realizar a Sociedade Promotora serão aplicados na ordem seguinte:

  1. Pagamento dos juros de mora ao Investidor;
  2. Pagamento dos juros ordinários devidos ao Investidor;
  3. Pagamento do principal devido ao Investidor;
  4. Cobrança, por parte da Housers, da sua tarifa de reclamação de não pagamentos (tarifa estabelecida no Site).


O conceito (ii) anterior será pago por ordem de antiguidade, devendo-se pagar uma quota antes de mais antiga antes de pagar uma quota mais recente. Uma quota será paga quando a Sociedade Promotora tiver disposto de fundos para cobrir a totalidade da mesma.

Reclamação extrajudicial/judicial

Depois de ocorrer o incumprimento assinalado no ponto anterior, a Housers entrará em contacto com a Sociedade Promotora e por eGarante, carta registada ou outro meio que deixe constância, para solicitar a apresentação de uma proposta vinculativa, com um calendário de pagamentos para a devolução do empréstimo.  Prazo de 60 dias. Paralelamente, em caso de existência de garantias pessoais (fiador ou avalista terceiro), será emitida, pelo mesmo meio, uma comunicação ao mesmo, de forma que seja conhecedor da falta de pagamento e da sua posição como obrigado ao pagamento.

No caso de que não se receber uma proposta no prazo de 60 dias, será convocada também a reunião de emprestadores para que decidam entre conceder um prazo adicional de outros 10 dias ou exigir a devolução do empréstimo com apoio de uma empresa especializada em recuperação de dívidas.

Passado o prazo de dez dias, essa proposta levará a uma reunião de emprestadores para submeter, a votação, a proposta enviada pela sociedade promotora. Com este mecanismo, a Housers dá a possibilidade aos investidores de escolher entre a opção de aceitar a proposta formulada pela sociedade promotora ou exigir a devolução do empréstimo com apoio de uma empresa especializada em recuperação de dívidas.

No caso de os investidores decidirem optar por exigir a devolução do empréstimo com apoio de uma empresa especializada em recuperação de dívidas, a empresa de recuperação avaliará a situação e decidirá se as possibilidades de cobrança justificam uma reclamação judicial, salvaguardando os interesses dos emprestadores (investidores). O objetivo é recuperar a dívida pendente de forma bilateral ou por via judicial.

Ao longo do processo de recuperação de dívida, a Housers gerirá a relação com a empresa de cobrança e informará, de maneira periódica e confidencial, todos os investidores do projeto sobre a evolução do processo.

As quantidades que sejam cobradas à Sociedade Promotora serão aplicadas pela ordem seguinte:

    1. Pagamento das despesas de reclamação (à Agência de Cobrança de Não Pagamentos e a Housers);
    2. Pagamento da dívida (capital e juros) aos emprestadores.

Rescisão

  1. Motivos de rescisão
    As seguintes causas são causas para a rescisão da relação contratual entre a Housers e o Investidor:
    1. O não pagamento pelo Investidor das taxas, despesas ou comissões devidas à Housers.
    2. Incumprimento pelo Investidor com obrigações de informação através do site.
    3. Qualquer outra violação por parte do Investidor destes Termos e Condições ou dos compromissos assumidos pelo Investidor através do Website no processo de registo, compromisso de fornecer um Empréstimo para financiar o Ativo da Oportunidade, ou quaisquer outros.
  2. Efeitos da rescisão
    O encerramento da relação contratual entre a Housers e o Investidor produzirá os seguintes efeitos:
    1. O Investidor deverá pagar todos os montantes devidos à Housers, se os houver, por qualquer motivo para os serviços prestados.
    2. A Housers cancelará a inscrição no Investidor do site.
    3. A rescisão destes Termos e Condições não afetará as cláusulas relativas a:
      • Taxas (em relação às custas que podem estar pendentes para a prestação de serviços fornecidos pela Housers);
      • Responsabilidade;
      • Confidencialidade;
      • Direitos de autor;
      • Proteção de dados;
      • Indemnizações; e
      • Resolução de litígio.
    4. O Investidor indemnizará e ilibará a Housers e os seus diretores, responsáveis, agentes, filiados, associados e funcionários eximindo-os de quaisquer perdas ou custos, incluindo honorários razoáveis a advogados, incorridos como resultado ou em ligação com qualquer violação, pelo Investidor, destes Termos e Condições ou qualquer lei ou direito de terceiros.
  3. Cancelamento voluntário da subscrição
    O investidor pode solicitar a exclusão do site da Housers em qualquer momento. Nesse caso, o Utilizador deverá notificar a Housers através do Website, procedendo a Housers ao cancelamento da subscrição do Investidor, no prazo máximo de noventa dias.

    As consequências da rescisão prevista na secção anterior serão aplicáveis no caso de cancelamento voluntário pelo Investidor.

    Se o Investidor tiver executado um ou vários Contratos de Empréstimo com a Empresa de Desenvolvimento através do Website em relação a Oportunidades diferentes, estes não podem ser encerrados, exceto conforme previsto nos referidos contratos.

Documentação relacionada

Auditores

Housers está auditada por Ernst & Young S.L., inscrita no Registo Oficial de Auditores de Contas com o número S0530, NIF B-A78685310. Morada: Calle Raimundo Fernández Villaverde, 65, 28003, Madrid, España.